Vendedor constrói "ecobarreira"e retira 5 toneladas de lixo de Rio em Colombo

O Rio Atuba, corta a cidade de Colombo, passando por diversos pontos, e com o desenvolvimento populacional, o rio foi morrendo com a poluição e lixo despejados por todo seu trajeto urbano. 

Diego Saldanha realiza a limpeza da ecobarreira em média 3 vezes por semana


Passando atrás da casa do Diego Saldanha, o rio com sua ajuda ganha sobrevida, morador de Colombo com 33 anos de idade que é vendedor de frutas nos semáforos de Curitiba, tenta com a ecobarreira, limpar o rio e conscientizar a população sobre o cuidado do meio ambiente em especial as águas, que é fonte primaria de nossa sobrevivência e desde a criação da barreira ecológica ele já retirou aproximadamente 5 toneladas de lixo. 

E além de retirar o lixo ele leva até uma escola próxima, a onde o lixo é trocado por verduras e ou vendido para levantar dinheiro e ajudar no dia a dia da escola local. Diego faz questão de atender as escolas, que organizam visitas até o ponto do rio a onde se encontra a barreira, para entender na prática os benefícios, desta atitude simples. 

Uma porta de geladeira, ainda com imãs ficou
parada na ecobarreira
De forma simples e prática ele mostra como efetua a limpeza do rio, e também apresenta o Museu do lixo, um espaço que ele criou para mostrar os mais diversos tipos de matérias que desce com o rio e para na ecobarreira, tais como televisores, fogões, maquinas de lavar, bolas, brinquedos, garrafas, capacetes, placas de veículos entre outras coisas. 

Enquanto visitávamos a barreira, vimos parada nela uma porta de geladeira, onde ele a retirou do rio e colocou no seu museu, para mostrar o descaso da população com o meio ambiente. Além de retirar alguns ovos que aparentemente estavam em boa condição, mas por algum motivo foi parar no rio.

Confira a entrevista que fizemos com ele: 

1- Como surgiu a ideia da Eco-Barreira? A ideia surgiu da necessidade de trazer uma vida melhor para o rio Atuba 

2- Qual o custo para se montar uma barreira ecológica como a sua? Eu fiz tudo de uma maneira ecológica procurei fazer com materiais reciclável depois de pronta custou em média 1000 reais 

3- Você notou uma melhora no trecho do rio em que você atua? Notei sim de 3 anos pra cá a EcoBarreira ficou bastante conhecida procurei fazer várias palestras nas comunidades e escolas próximas aos Rios a população tá percebendo que precisamos cuidar dos rios no início do projeto eu retirava lixo do rio quase que todos os dias agora faço 3 x por semana 

4- Quanto de lixo que você já removeu? Acredito que algo em torno de 5 toneladas 

5- É viável em todo rio, este modelo de barreira? Eu indicaria em rios de até 20 metros de largura os rios urbanos dificilmente passam disso e são os que mais precisam de ajuda 

6- O poder público conseguiria gerir e instalar barreiras no Brasil em grande escala? O poder público tem toda estrutura para fazer um belo trabalho com Ecobarreiras em nossos rios é preciso os gestores ser ousados e pensar no futuro 

7- Quais as soluções para que toda a população ajude e você não faça um trabalho de formiga sozinho Olha existem várias soluções mais eu costumo falar em minhas palestras que os rios eles são de todos se cada cidadão procurar fazer sua parte separar seu lixo reciclável do orgânico separar o óleo de cozinha leva em um ponto de troca para de jogar lixo nas beiradas de rio terrenos baldio etc. as coisas iriam melhorar e muito em nossa cidade não tenha dúvidas 
8- Você participou de diversos programas, como o da Fátima Bernardes e o Domingo Espetacular, após isto o apoio e a ajuda aumentou? Sim a mídia acredita no projeto tem me ajudado muito a divulgar após aparece nos programas citados a procura por ajudar o projeto aumentou sim eu fico contente com isso pois tudo que faço aqui é voluntário e sabemos que tudo tem gasto uma ou outra ajuda que entra eu consigo investir em outros projetos ambientais que tenho aqui 

9- Um desejo seu para Colombo, Paraná e o Brasil: Eu gostaria que todos os rios urbanos do estado e do Brasil tivesse Ecobarreira iria ajudar muito as pessoas contra enchentes e o meio ambiente agradeceria e Colombo precisa acordar, para o turismo natural, poderia gerar renda com as visitas, além de tornar a cidade mais limpa e saudável 
Confira as fotos que tiramos na Ecobarreira e no Museu do Lixo:



























Postar um comentário

0 Comentários