Está na hora dos empresários ou governo limitar a quantidade de compra nos mercados



Grande Curitiba
- O povo brasileiro num geral, não está preparado para crises como a do COVID-19, e isto já ficou claro em outra crise recente, na greve dos caminhoneiros por exemplo os brasileiros correram aos mercados e posto, e fizeram estoque de alimentos e produtos de higiene, como papel higiênico e encheram os tanques, mas qual o problema desta atitude? O ato de estocar, faz com que a demanda de determinado produto que tenha sido adquirido de forma irracional, leve a escassez, e posteriormente ao aumento do valor. 

Estamos vendo nos mercados, a população contrariando as recomendações e indo em grupos enormes aos mercados e comprando o máximo que podem. O medo de ficar sem alimentos, será o responsável por faltar, além de encarecer e dificultar a vida daqueles que não tem condições financeiras de comprar muitos produtos e ainda terá maior dificuldade em pagar mais caro por tais produtos.

Neste momento é hora de ser solidário e responsável, primeiro fique em casa, segundo não estoque alimentos e produtos de higiene, mas infelizmente sabemos que a grande maioria não irá seguir estas orientações, neste momento cabe aos empresários, ter consciência coletiva e não financeira e limitar a quantidade de produtos por clientes. 

E se os empresários não tomarem medidas, cabe ao nosso governo estabelecer regras e distribuir de forma igualitária e social alimentos e produtos de higiene, pois é claro que o brasileiro (uma parte) não tem empatia e respeito pelo próximo. 

Opinião Ale Schneider

Postar um comentário

0 Comentários