Ultimas Notícias

Curitiba segue exemplo da Prefeita Beti Pavin de Colombo e quer passar a dar uniforme e kit escolar para os alunos de graça



Estudantes da rede municipal de ensino de Curitiba poderão receber gratuitamente materiais escolares e uniformes Como acontece em Colombo. De iniciativa do vereador Professor Silberto (MDB), o projeto de lei que tramita na Câmara Municipal de Curitiba (CMC) obriga o município a fornecer gratuitamente estes kits. O objetivo da proposição é reduzir a desigualdade e garantir o acesso e permanência dos mesmos nas escolas e segue o exemplo da prefeita Beti Pavin, que desde seus dois primeiros mandatos, já distribuía o kit escolar e uniforme de forma gratuita.

Em colombo desde que a Prefeita Beti Pavin em 1997 se tornou prefeita pela primeira vez, ela entendeu a necessidade de ajudar as famílias com entrega de Kits e uniformes, e desde então a cidade de Colombo tem sido exemplo para o Paraná e Brasil, tivemos 8 anos com J. Camargo de desvios, acusações e falta dos Kits, mas ao retornar a prefeitura de Colombo, Beti Pavin tratou de colocar nos eixos a entrega do kit escolar, composto por todo o material didático e uniforme escolar, com calça, camiseta, blusa, bolsa e até tênis.

O vereador argumenta que, dentre os principais desafios para que a educação se efetive como "transformadora da sociedade", estão as dificuldades em se garantir políticas públicas que ofereçam subsídios para uma educação de qualidade. “Existem desigualdades estruturais e sociais que precisam ser revertidas e merecem a atenção do Poder Público”, justifica. 

No projeto (005.00014.2020), Professor Silberto explica que os kits deverão ser adequados à série do aluno e ainda “respeitar a autonomia de cada instituição de ensino, conservando símbolos, cores ou outros sinais”. Além disso, precisarão apresentar um logotipo ou adorno que identifique a Prefeitura de Curitiba. 

“Todos os recursos financeiros utilizados deverão vir das emendas orçamentárias e de recursos específicos para a educação básica, tal como o Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação)”, ressalta o parlamentar.

Tramitação

Protocolado no dia 7 de fevereiro, o projeto primeiramente receberá uma instrução da Procuradoria Jurídica (Projuris), para então passar pelas comissões temáticas, nas quais poderão ser solicitados estudos adicionais, juntada de documentos faltantes, revisões no texto ou o posicionamento de órgãos públicos afetados por seu teor. Depois do trâmite nas comissões, a proposição estará apta para seguir para o plenário e, se aprovada, para a sanção do prefeito para se tornar lei.

Foto: Ivan de Colombo

Nenhum comentário