Ultimas Notícias

Policial militar acusado de matar motociclista na BR-277 e plantar arma na cena do crime é preso

Mandado de prisão foi cumprido em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

O policial militar denunciado por homicídio e fraude processual pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) por matar o motociclista Leandro Pires na BR-277, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), e plantar uma arma na cena do crime foi preso nesta segunda-feira (3).

O mandado de prisão preventiva contra o PM Wanderson Rigotti foi expedido pela juíza Luciani Regina Martins de Paula, da 1ª Vara Criminal de São José dos Pinhais.

O policial foi encaminhado para prestar depoimento na Corregedoria da Polícia Militar e ficará preso no Batalhão de Polícia de Guarda, em Piraquara, também na região metropolitana.

O caso aconteceu em 21 de abril deste ano. No dia, a primeira informação dada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) sobre a ocorrência foi que o motociclista estava armado e entrou em confronto com os policiais militares.

De acordo com o MP-PR, o motociclista não estava armado. Segundo o promotor João Milton Salles, PMs colocaram uma arma na cena do crime após Leandro ser morto (veja o vídeo abaixo).

Rigotti foi denunciado por homicídio e fraude processual. O policial militar Jeferson de França dos Santos, que estava com Rigotti no momento da morte da vítima, foi denunciado por fraude processual.

Na denúncia, o MP-PR apontou que "Rigotti ciente da ilicitude e reprovabilidade de sua conduta, com a inequívoca intenção de matar, efetuou disparos de arma de fogo contra a vítima Leandro Pires Cordeiro".

O promotor afirmou que a Leandro não teve nenhuma possibilidade de defesa.

De acordo com o MP-PR, a motivação de Rigotti foi torpe, pois o PM atirou com a intenção de matar como repreensão porque o jovem não obedeceu a ordem de parada.

O G1 entrou em contato com a PM e aguarda retorno da corporação.

Veja mais notícias da região no G1 Paraná.

Nenhum comentário