Ultimas Notícias

Professor Condenado por estupro é preso em Colombo: Polícia Civil prendeu outro homem por furto também

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) prendeu dois homens foragidos da Justiça no município de Colombo, Região Metropolitana de Curitiba (RMC), durante ações distintas. Um homem de 45 anos, condenado por furto qualificado, foi preso na segunda-feira (6). Já na sexta-feira (3), foi preso um professor de 58 anos, condenado por estupro de vulnerável.

O homem, de 45 anos, ainda está sendo investigado por outros crimes, entre eles violência doméstica praticada contra o próprio pai. O idoso de 70 anos procurou a PCPR em abril para denunciar diversos abusos.

Durante inquérito instaurado para apurar a violência contra o pai, a PCPR conseguiu prender o suspeito por um mandado de prisão em aberto do crime praticado em 2015 em Colombo. O idoso procurou a polícia para relatar casos de perda de objetos de casa, que o suspeito vendia, da pensão que era perdida para o filho, além de agressões físicas. A vítima obteve medida protetiva, amparada pelo Estatuto do Idoso e Lei Maria da Penha.

O condenado é usuário de drogas e ainda tem passagem pelos crimes de tráfico de drogas e corrupção de menores.

Já o professor de 58 anos, preso na sexta-feira (3), é condenado a 12 anos de reclusão pelo crime de estupro de vulnerável, ocorrido em Curitiba. O professor estava foragido da Justiça desde 2017, quando fugiu de Londrina rumo ao litoral paranaense. No período o servidor não se apresentava para o trabalho, alegando problemas de saúde e também não informava o endereço corretamente. 

A prisão do condenado foi feita no momento em que o professor passaria por uma nova perícia médica, no município.

FLAGRANTE – Na quinta-feira (2), a PCPR prendeu em flagrante um homem, de 27 anos, no bairro Jardim Marambaia/Olaria, em Colombo, pelo crime de tráfico de drogas. O suspeito foi flagrado no momento em que repassava a um usuário os pinos de cocaína. Ele já responde inquérito pelos crimes de furto, estupro de vulnerável e ameaça.

Nenhum comentário