Quadrilha presa cobrava pedágio de travestis para utilizar "ponto"

A quadrilha presa na manhã desta segunda-feira (21) suspeita de exploração sexual, obrigava travestis a pagar pedágio para utilizar ‘pontos’ em Curitiba. Batizada operação Keshara, oito pessoas da organização criminosa foram detidas. Elas são suspeitas de cometer vários tipos de crimes.

De acordo com o delegado Matheus Laiola, há muito material apreendido para concretizar o inquérito e a extorsão funcionava por meio de pedágio para trabalhar. “Alguns cobravam R$ 50 por dia, outros cobravam um valor fixo mensal, mas de uma forma extremamente violenta. Alguns dos acusados são investigados por homicídio e possuem uma extensa ficha criminal”, relatou.

As investigações, conduzidas pelo 7º Distrito Policial, iniciaram em agosto deste ano, após a polícia apreender certa quantidade da droga a base de ketamina – que é relativamente nova no mercado. O suspeito apontado como líder da quadrilha extorquia as vítimas, obrigando-as a vender a droga para os clientes durante o programa sexual. “Essa é uma droga extremamente forte e o nome da operação se dá justamente pelo significado de Keshara, que é sair do corpo. Um grama pode levar a morte”, concluiu Laiola.

Além de explorar sexualmente diversas travestis, nos bairros Boqueirão e Centro, a quadrilha atuava no tráfico de drogas, rufianismo, extorsão, roubos, furtos e receptações de veículo.

Participaram da ação policial, policias da Delegacia de Furtos e Roubo (DFR), Divisão de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), Delegacia de São José dos Pinhais, Delegacia do Consumidor (Delcon), além de policias da Divisão Policial da Capital (DPCap).

Foto e Material Portal Banda B

Por Alisson Schneider

Postar um comentário

0 Comentários