Moradores ficam indignados com ordem da prefeitura e bloqueiam Estrada da Ribeira

O recebimento de uma notificação judicial para cerca de cem famílias que vivem na região do bairro Atuba, em Curitiba, foi o motivo do caos na Estrada da Ribeira, na noite desta segunda-feira (10). Os moradores invadiram a rua e bloquearam, por cerca de duas horas, a pista sentido Curitiba. Segundo eles, há dias teriam recebido uma notificação exigindo que eles comparecessem em uma audiência, que pediria que deixassem o local. A área é ocupada há cerca de 25 anos, segundo os manifestantes.
O bloqueio aconteceu por volta das 19h e logo registrou lentidão e congestionamento. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi acionada e acompanhou a manifestação, que se estendeu de maneira pacífica. Segundo os moradores, os terrenos onde as famílias moram têm instalações legais de água, luz e sistema de esgoto. Entretanto, não há registros de imóveis, nem pagamento de IPTU de alguns terrenos. O local está documentado em nome da Prefeitura de Curitiba.
A Central Única das Comunidades (CUC) organizou a manifestação e já direcionou um advogado para defender a causa das famílias. “Os moradores aqui dessa região estão protestando porque receberam um mandado judicial para que se retirem, mas são pessoas que moram no local há mais de 20 anos. Estamos aqui para representar esses moradores, estamos brigando e apoiando essa manifestação. Isso é injusto porque são trabalhadores que moram aqui há anos, constituíram famílias e tudo mais”, explicou Thiago de Jesus, da CUC.
Segundo os moradores, há 10 anos teria acontecido uma reunião com representantes da Prefeitura de Curitiba, mas a discussão, segundo eles, não teria ido para frente. A novidade foi o recebimento da notificação, que pede que os moradores se apresentem para uma audiência de acordo. “Estamos com medo que tirem a gente daqui a qualquer momento”, disse uma moradora, que preferiu não se identificar.
Além dos policiais rodoviários, uma equipe do Corpo de Bombeiros também acompanhou o protesto e apagou os pontos de incêndio feitos pela população durante o protesto. Após cerca de duas horas, os moradores deixaram a pista e a Estrada da Ribeira foi liberada para o fluxo de veículos.
A Rádio Banda B entrou em contato com a Prefeitura de Curitiba que enviou a seguinte nota oficial: “Nesta área de propriedade da Prefeitura de Curitiba vivem irregularmente cerca de 90 famílias. O local apresenta três diferentes modalidades de restrição habitacional: é uma Área de Preservação Permanente (APP) com fundo de vale; possui torres e linhas de alta tensão; e fica na faixa não edificável das margens da rodovia. Aos moradores, a Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab) já ofertou o benefício de auxílio-moradia até que a negociação com as famílias encontre uma solução definitiva”.

Fonte e Foto : Banda B

Postar um comentário

0 Comentários